12 de mai de 2007

Banda larga

Por Marcos Dantas
Na medida em que as tecnologias digitais favorecem a interatividade, a questão central é assegurar a todos - pessoas ou grupos - o acesso aos meios que lhes permitam expressar seus sentimentos, idéias ou projetos. Ou seja, a questão central reside na universalização e em políticas universalizantes. Se for dada a cada comunidade a possibilidade de se exprimir em uma rede universal, está dada a ela a condição inicial, na realidade sócio-econômica atual, para expressar a sua particularidade cultural e política. Penso que, hoje, o governo deveria implementar uma real política para universalizar a banda larga no Brasil através de empresas concessionárias de telecomunicações (as atuais ou outras que o venham a ser), já que a estas empresas outorgou-se o mandato público de assegurar a universalização. Noutras palavras, não tem mais sentido prosseguir-se com políticas para universalizar apenas a telefonia fixa (banda-estreita), mas se deve avançar para universalizar a banda-larga com ou sem-fio.

Nenhum comentário: