10 de mai de 2007

A cultura digital e o projeto antropofágico

Por Giuseppe Cocco

Vou saquear a reflexão de alguém e doá-la. Digamos que vou "samplear".
Com efeito, me parece que a melhor resposta a essa questão foi dada, em uma entrevista recente, pelo antropólogo Eduardo Viveiros de Castro (Azougue n11 - Cultura e Pensamento - 2007): "O Criative Commons está tentando consagrar do ponto de vista jurídico o processo de hibridação". É exatamente isso. A relação entre cultura digital e diversidade é a de que a cultura digital abre e multiplica, em todos os níveis, o processo de mestiçagem, atualizando o projeto antropofágico, "o saque positivo, o saque como instrumento de criação. Eu sampleio e dou (...)". No ambiente digital, a criação aparece como sendo – sem ambigüidades sempre uma cooperação e uma projeção no futuro de algo que já existe. A diversidade é pois intrínseca à cultura digital. Ao mesmo tempo, a produção dessa diversidade é completamente relacional, reticular: uma diferenciação.

Um comentário:

Paulo Lima disse...

De fato o Beppo sempre olha mais adiante. Acho que vou reler Mario de Andrade...